Sobre o autor

Pedro Henrique Máximo é Arquiteto e Urbanista (UEG – 2011) e Artista Visual (UFG – 2014). Doutor (2019) e Mestre (2014) em Arquitetura e Urbanismo pela UnB. Especialista em Educação (AME), pela PUC RS (2021).

Pedro Henrique Máximo

Nasci em Marzagão, uma pequena cidade do interior de Goiás. Lá cresci, estudei e trabalhei com meus pais numa pequena chácara e no mercado. Aos 17 anos me mudei para Anápolis, onde iniciei o curso de Arquitetura e Urbanismo na Universidade Estadual de Goiás (UEG). Em 2009 iniciei o curso de Artes Visuais na Universidade de Brasília (UnB), o qual foi interrompido em 2010, quando prossegui com meus estudos neste curso na Universidade Federal de Goiás (UFG).

Atuei como professor de Artes Visuais em escolas da rede estadual de educação em Anápolis de 2009 a 2010.

Graduei-me em Arquitetura e Urbanismo em 2011 e em Artes Visuais em 2014, mesmo ano que concluí o Mestrado em Arquitetura e Urbanismo pela UnB. Neste interim me tornei professor de Arquitetura e Urbanismo das Universidades que atuo atualmente. Também tive uma breve passagem como docente pela Universidade Paulista (Unip).

Iniciei o curso de Doutorado na Universidade de Brasília em 2016, no mesmo Programa de Pós-Graduação. A Defesa da Tese O entre-Metrópoles Goiânia-Brasília: História e Metropolização ocorreu em dezembro de 2019. Em 2020, a Tese foi laureada com o Prêmio Brasília 60 anos da Universidade de Brasília como melhor Tese.

Desde 2020 integro a Comissão Técnica de Avaliação e Acompanhamento do INEP/MEC, na Área de Artes e Humanidades, bem como o WeColetivo Multiplataforma de Comunicação Digital.

Zygmunt Bauman

Zygmunt Bauman entrou em minha vida em 2008 por meio de Amor Líquido. À época cursava a disciplina de Projeto de Arquitetura I, cujo programa era uma casa. Era fundamental compreender as novas organizações familiares e uma análise sociológica era necessária.

Desde então, Bauman tem sido uma boa companhia. Com frequência faço referência a ele como um grande amigo. Suas leituras, análises e conselhos por meio de seus livros são importantes. É de costume chamá-los de farol. Eles nos ajudam a compreender as contradições do mundo, a lidar com elas e a superá-las.

Desde o Doutorado faço leituras e análises mais aprofundadas sobre ele. Em 2019, iniciai uma pesquisa sobre suas contribuições aos Estudos Urbanos.

O Mundo Líquido

O Mundo Líquido, este site, faz clara referência à obra de Bauman e sua fase líquida. Pode ser considerado uma homenagem ele e a seu legado.

Aqui exporei minhas análises sobre sua obra, bem como sobre o mundo contemporâneo.

Prêmios

2020 – Prêmio Brasília 60 anos (Tese de Doutorado) Universidade de Brasília

2020 – Prêmio Melhores Trabalhos de Conclusão de Curso de Arquitetura e Urbanismo dos países lusófonos (Orientador) ArchiDaily

Experiências Profissionais

Universidade Estadual de Goiás (UEG)
(2012 – )
Professor Efetivo de Projeto de Arquitetura e Urbanismo. Atualmente é Coordenador da Pesquisa “Ponto cego na história da Arquitetura Moderna: os Campos de Concentração Nazistas”.

Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC Goiás)
(2013 – )
Professor Assistente I de Teoria, História e Crítica da Arquitetura e Urbanismo. Atualmente é Coordenador das pesquisas “Leituras de Zygmunt Bauman e suas contribuições aos Estudos Urbanos” e “Do Aeroporto à Aerotrópole: história, tipo e relação com a cidade“.

Universidade Evangélica de Goiás (UniEVANGÉLICA)
(2014 – )
Professor Convidado. Atua no curso de Arquitetura e Urbanismo.

INEP/Ministério da Educação (MEC)
(2020 – )
Membro da Área de Artes e Humanidades da Comissão Técnica de Avaliação e Acompanhamento (CTAA) do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior e do Sistema de Avaliação de Escolas de Governo.

Receba novidades em sua caixa de entrada. Novos textos semanalmente. Inscreva-se no O Mundo Líquido!